Boudoir: Ensaio sexy sem ser vulgar

Boudoir: Ensaio sexy sem ser vulgar

A fotografia sensual – cuja expressividade está mais no que sugere do que naquilo que, efetivamente, revela – tem se mostrado um segmento promissor. Não importa a idade, não importa se casadas ou solteiras, mulheres dos mais variados perfis estão cada vez mais receptivas a um ensaio fotográfico numa linha mais ousada. Na esteira desse interesse, surgiu o “boudoir”. Sua diferença para o ensaio sensual clássico está principalmente na aura romântica que o envolve, com um certo ar “vintage”.

A palavra, francesa, foi usada originalmente para designar os quartos que as mulheres usavam para se vestir no século 19, ou ainda a penteadeira, por isso o ensaio remete ao momento em que a mulher está se arrumando, e por aí temos a associação com as noivas. As noivas tem se encantado cada vez mais com essa possibilidade de ter um ensaio como este para presentear o futuro marido com uma revista ou um álbum onde ela é a capa e todo o conteúdo interno. Para quem trabalha com casamentos, é bacana explorar, por exemplo, o momento em que algumas pessoas têm que deixar o quarto para que a noiva se arrume. O fotógrafo pode, nesse caso, executar um ensaio boudoir no momento em que a noiva se prepara para o seu grande dia. Por conta dessa possibilidade, as noivas costumam abraçar mais facilmente a ideia.

Screenshot_10

Diferente da fotografia sensual em si, no boudoir a ideia é baseada no uso intensivo de rendas, joias e outros acessórios. A escolha do cenário é variada: pousadas, hotéis, a casa dos clientes ou mesmo externas. A opção dependerá de uma conversa prévia, na qual as preferências da cliente (inclusive gosto musical) estarão em pauta. A sessão é feita sempre que possível sob luz ambiente. Quando não for possível, pode-se utilizar um flash dedicado fora da câmera com acessórios de estúdio, como o mini softbox, por exemplo. Sua lente de trabalho pode ser a “queridinha” 50 milímetros, por toda a sua claridade e seu desfoque, faz toda a diferença.

Screenshot_2

Talvez a ousadia não seja exatamente uma marca do boudoir, embora possam ser feitas fotos de nu caso a cliente queira. Porém, interessa mais brincar de “esconder e mostrar”. Daí a importância de se focar nos detalhes, de se obter enquadramentos fechados. O ângulo é a chave para o ensaio ficar de bom gosto e sutil, de forma a se posicionar com o objetivo de pegar ângulos que ressaltem a beleza e a sensualidade da noiva, sem ser invasivo.

Screenshot_6

Screenshot_8

Isso reforça a importância de não se perder de foco a sensibilidade. São mulheres muito diferentes, muitas não são modelos, mas cheias de expectativas, que se submetem ao olhar do fotógrafo. Por isso, tente enxergar a beleza que cada mulher tem, o seu diferencial, de forma a transformar o ensaio em algo único e especial.

Screenshot_3

Screenshot_4

Screenshot_9

Fotos: Jerry Ghionis

—————————————————————————————————————————————————————————

Você pode aliar as técnicas de fotografia sensual para oferecer serviço de boudoir para suas noivas. Que tal aprender um mestre nessa área e ter mais um novo serviço disponível no seu pacote? Aproveite pois são os últimos dias para se inscrever no workshop “Fotografia Sensual e Direção de modelos” com Henrique Cesar! Clique aqui e saiba mais.

                                                                Sem-Título-1

22643344_1718724971533604_491611057_o

Fotos: Henrique Cesar

18835113_1549286281810808_1670634745_n

35 fotos de casamento que foram premiadas (e definitivamente não desapontam)

35 fotos de casamento que foram premiadas (e definitivamente não desapontam)

Eles dizem que toda fotografia conta uma história. E, se essa premissa é verdadeira, certamente ela está presente na seleção de fotos de casamentos abaixo.

O Fearless Photographersum site norte-americano dedicado a celebrar a melhor fotografia de casamento do mundo – revelou sua última coleção de 204 imagens nesta semana. Abaixo, veja 35 das nossas fotos favoritas. Você pode ver a coleção inteira no site do grupo de fotógrafos.

1

2

3

4

5

6

7

8

Deux enfants assis sur les prie Dieu se regardent et se prennent la main

10

11

12

Mariage Emmanuelle Svtechine et Arnaud a la cabane du Praz Chamonix

14

15

Confira fotos completas em Huffpost.

Bastão de LED adiciona cores ao ensaio fotográfico de forma criativa

Bastão de LED adiciona cores ao ensaio fotográfico de forma criativa

Desenvolvido pela Bitbanger Labs ao longo de 2 anos, o Colorspike é um poderoso bastão de LED dirigido por animação que promete revolucionar a forma como você adiciona luz colorida em sessões fotográficas e projetos de vídeo. Assista ao vídeo de apresentação:

O Colorspike é um produto de qualidade profissional feito de um corpo robusto de alumínio anodizado, que protege seu interior dos danos ao dissipar o calor. É pequeno o bastante para ser usado na mão, mas seus canais laterais também permitem que o bastão seja montado em outros suportes. Dentro do Colorspike há uma linha de luzes LED ultra brilhantes e sem cintilação que podem exibir milhões de cores. Elas são compactadas densamente para reduzir o sombreamento e produzir linhas limpas enquanto você está moldando a luz.

875fb293602471ffd159004aad808554_original

 

A alimentação é feita por uma bateria interna para portabilidade, mas o dispositivo possui um adaptador DC incluso para quando estiver trabalhando no estúdio. Uma única carga fornece até 45 minutos de luz contínua quando está funcionando com energia da bateria.

 

iphoto-colorspike-app

 

Além da tela e dos controles encontrados no dispositivo, um aplicativo para iOS e Android ajuda na operação. É possível navegar através de uma seleção de efeitos salvos, criar seus próprios efeitos personalizados com um editor poderoso e gerenciar várias cores ao mesmo tempo.

 

 

Para fotos estáticas, o Colorspike pode ajudar a criar iluminação de retrato colorida que é extremamente flexível e fácil de ajustar, especialmente quando se usa mais de um bastão. Os recursos de animação permitem que você crie incontáveis efeitos de iluminação também para projetos de vídeo.

“O aplicativo permite que você crie novos padrões a partir do zero, mas também lhe dá a capacidade de ajustar os padrões existentes”, escreve o Bitbanger Labs. “Uma sirene policial pode facilmente se tornar uma luz de emergência com uma pequena mudança na paleta e velocidade de animação. Adicione aleatoriedade um estroboscópio branco básico e você terá um efeito orgânico de raio e trovão”

 

0643f6b65e3638cba438835d9e5afe2e_original

O Colorspike está sendo lançado através de uma campanha de financiamento coletivo no site Kickstarter e pode ser adquirido por US$ 270. O kit com quatro unidades pode ser obtido pelo preço com desconto de US$ 1.000. A empresa espera que a entrega comece em março de 2018. No momento, a Bitbanger está bem próxima de alcançar a meta de US$ 120 mil, faltando ainda mais de 30 dias para o fim da campanha.

Fonte: IPhoto (https://goo.gl/icn4YD)

 

 

 

 

Adobe lança o novo Photoshop Elements 2018

Adobe lança o novo Photoshop Elements 2018

Enquanto o mercado de fotografia profissional aguarda para ver as novidades da Adobe durante a conferência Adobe MAX 2017, a empresa por trás do Lightroom e do Photoshop revelou algo que atrai um público um pouco mais amplo: o Photoshop Elements 2018 e o Premiere Elements 2018.

As versões novas e amigáveis dos editores de fotos e vídeos da Adobe vêm com alguns recursos realmente criativos e fáceis de usar que, segundo a empresa, são voltados para quem quer preservar a memória. A ideia era criar dois programas que tornassem a descoberta, aprimoramento e compartilhamentos das preciosas lembranças escondidas dentro de cartões de memória aleatórios, discos rígidos e smartphones quase totalmente automáticos.

iphoto-photoshop-elements-2018-double-exposures-990x557

 

Photoshop Elements 2018

O Photoshop Elements 2018 aborda o mesmo problema que todos os demais softwares de imagens estão tentando abordar: como ajudar o fotógrafo amador entusiasta que registra o cotidiano a encontrar suas melhores imagens diante das milhares que ele tira todas as semanas em seu smartphone e melhorar essas imagens e sejam compartilhadas nas redes sociais. Como com todos os outros, a Adobe está apoiando-se fortemente em diferentes tipos de inteligencia artificial para isso.

Começa com uma visão organizadora fácil de usar e uma função chamada Auto Curation, (Curadoria Automática) que usa a visão por computador e alguns algoritmos astutos para descobrir qual das suas imagens são as melhores. Então, se você tiver um grupo de 200 imagens, pode pedir que o Photoshop Elements escolha as 15 melhores automaticamente.

Uma vez que você selecionou suas fotos, você pode usar as novas Edições Guiadas do programa e um novo recurso chamado Seleção Automática para fazer coisas como colocar um novo plano de fundo, criar um efeito de dupla exposição usando duas de suas imagens ou adicionar sobreposições “artísticas”.

A característica mais legal, no entanto, deve ser a ferramenta Open Closed Eye (Abrir Olhos Fechados). Se alguém na foto tiver os olhos fechados, o Photoshop Elements pode copiar os olhos abertos a partir de uma foto diferente e colar perfeitamente na foto desejada. Os resultados são incrivelmente realistas.

iphoto-premiere-elements-2018-candid-moments-990x557

Premiere Elements 2018

Como o Photoshop Elements, o Premiere Elements 2018 também se baseia fortemente em recursos de inteligência artificial para tornar a edição de vídeo mais automática e o menos dolorosa possível.

Smart Trim faz para vídeos o que o Auto Curation faz para fotos: ele pergunta qual “estilo” de vídeo que deseja criar, tenta encontrar inteligentemente os melhores clipes que combinam com esse estilo e lança o resto para criar um clipe coerente.

Outra adição interessante é um recurso chamado Candid Moments, que tenta encontrar a melhor “foto” espontânea escondida dentro de um videoclipe e retira para você. Com os novos smartphones, como o iPhone 8 Plus, que filmam em 4K 60p, esse recurso pode ser um grande sucesso com o público que a Adobe está tentando atingir.

O Photoshop Elements 2018 o Premiere Elements 2018 não têm como alvo os fotógrafos profissionais, mas, à medida que esses programas focados em iniciantes se tornam cada vez mais poderosos, os fotógrafos amadores que não gostam de fazer muito pós-processamento podem realmente aproveitar suas ferramentas.

Para saber mais sobre o Photoshop Elements 2018 e o Premiere Elements 2018, acesse o blog da Adobe. Ambos os programas estão disponíveis no site por US$100 novos ou US$80 como atualização. Você também pode comprá-los juntos por US$ 150 novos ou atualizar ambos de uma só vez por US$ 120.

Fonte: DPReview

iphoto-channel-dicas-fotografia

 

 

 

Sensor Full Frame x Sensor Cropado: você consegue dizer a diferença?

Sensor Full Frame x Sensor Cropado: você consegue dizer a diferença?

Muito se discute sobre até onde a qualidade do equipamento influencia na construção das fotografias. Você acha que pode dizer a diferença entre as imagens feitas com um sensor full frame e com um sensor APS-C (cropado) da mesma cena? O fotógrafo Manny Ortiz fez um ensaio usando dois tamanhos de sensores para provar que é possível conseguir resultados similares usando ambas tecnologias.

As fotos full frame foram tiradas usando uma câmera Sony A9 com uma lente 85mm f/1.4 G Master – um kit que custa cerca de US$ 6.300 (US $4.500 a câmera e US$ 1.800 a lente). As fotos com sensor cropado foram tiradas usando uma Sony A6500 e uma lente Sonnar 55mm f/1.8, um kit no valor de US$ 2.400 (US$ 1.400 a câmera e US $ 1.000 a lente).

Quais as diferenças entre tamanhos de sensor nas câmeras?

Ortiz usou o equipamento full frame com abertura f/2.8 para capturar uma profundidade de campo que fosse semelhante ao fotografar com o equipamento cropado em f/1.8 – a exceção foram as fotos noturnas, para as quais Ortiz usou f/1.8 para manter o ISO mais baixo.

“Consegui obter resultados quase idênticos de ambas as configurações de câmera”, diz Ortiz ao site PetaPixel. “Não há muita diferença entre as fotos provenientes de ambos os tipos de câmeras e outros fatores desempenham um papel maior”.

Veja as fotos do ensaio abaixo e tente descobrir qual foi feita com a câmera full frame e qual foi feita com a câmera cropada. As descrições estão nas legendas:

iphoto-sensor-full-frame-vs-crop-1

iphoto-sensor-full-frame-vs-crop-2 - Cópia

iphoto-sensor-full-frame-vs-crop-3 - Cópia

iphoto-sensor-full-frame-vs-crop-4

iphoto-sensor-full-frame-vs-crop-5 - Cópia

iphoto-sensor-full-frame-vs-crop-6 - CópiaCrop / Full Frame

Fonte: PetaPixel

A inspiradora história do fotógrafo que nasceu sem pés e mãos

A inspiradora história do fotógrafo que nasceu sem pés e mãos

Apesar de ter nascido sem mãos e pernas, o indonésio de 25 anos Achmad Zulkarnain, mais conhecido como Dzoel, tornou-se um fotógrafo profissional renomado na região onde vive. Assista abaixo a uma reportagem exibida pelo canal Al Jazeera:

“É ridículo quando as pessoas me veem como deficiente”

Dzoel ficou interessado em fotografia enquanto trabalhava em um cyber café que tinha serviços de fotos. Ele comprou uma câmera à crédito, aprendeu cada vez mais sobre a profissão e, eventualmente, tornou-se conhecido em sua região por seus serviços de fotografia. Além de fotografar e retocar, Dzoel também ensina fotografia.

E como ele trabalha? Dzoel não tem dedos, então ele empurra sua câmera contra o rosto enquanto a usa. Ligar e desligar a câmera é feito com a boca, e ele usa os pedaços de pele extras no braço para pressionar o obturador. Para se deslocar de um lugar para outro, Dzoel conduz um veículo personalizado que ele projetou e seus amigos e familiares ajudaram a construir. Veja algumas de suas fotos:

 

iphoto-dzoel-foto-1-990x660

iphoto-dzoel-foto-2-990x660

iphoto-dzoel-foto-3-990x660

iphoto-dzoel-foto-4-990x1238

iphoto-dzoel-foto-5-990x1238

Para conhecer mais sobre o trabalho de Dzoel, acesse seu Facebook ou Instagram.

Fonte: IPhoto (https://goo.gl/icn4YD)

Aplicativo de realidade aumentada ajuda a planejar sessão de fotos

Aplicativo de realidade aumentada ajuda a planejar sessão de fotos

Blocker é um novo aplicativo de realidade aumentada que pode mudar a maneira como você planeja seus ensaios fotográficos. O aplicativo permite que você “fotografe” com uma variedade de câmeras virtuais diferentes, introduzindo objetos na cena real à sua frente.

Ser capaz de visualizar corretamente uma sessão pode ser muito útil para os fotógrafos. O Blocker permite simular uma sessão de fotos colocando uma série de objetos diferentes, como pessoas e carros, em uma cena bem na sua frente através da câmera do seu smartphone. Também é possível introduzir uma câmera na cena – são mais de 400 modelos diferentes – para que você veja como a foto vai ficar por trás da lente. Você também pode escolher o tamanho do sensor e até mesmo a distância focal da lente que está usando.

O aplicativo rastreará os modelos na cena real, para que você possa caminhar ao redor de seu conjunto e examinar diferentes ângulos de câmera.

Você pode até ajustar a iluminação movendo um sol virtual no aplicativo, simulando diferentes horários do dia. Dê uma olhada em como funciona:

Você pode salvar cada fotografia e compartilhá-la com os clientes e outras pessoas envolvidas na produção do ensaio.

 

Atualmente o aplicativo Blocker está disponível apenas para dispositivos do sistema iOS, que deve ser pelo menos um iPhone 6S executando o iOS 11. A versão demo pode ser baixada gratuitamente pela App Store(a versão completa custa US$ 50).

Fonte: PetaPixel

Fotógrafo cansa de sua câmera receber os créditos e faz ensaio com a câmera mais barata que encontrou

Fotógrafo cansa de sua câmera receber os créditos e faz ensaio com a câmera mais barata que encontrou

O fotógrafo Phillip Haumesser produziu um ensaio com um equipamento que custou menos de 200 dólares. O motivo? Ele estava cansado de ter a sua câmera levando todo o crédito por suas fotos. Pensando nisso, Phillip comprou no Ebay uma Canon T2i custando 183 dólares (591 reais) e uma lente Pentax 50mm f1.7 custando 15 dólares (47 reais), que foram os equipamentos mais baratos encontrados pelo fotógrafo.

O resultado desse ensaio você confere aqui e conta pra gente depois o que achou… Quem faz a foto é o fotógrafo ou o equipamento? 🙂

02-2

03-1

01-2

05

06-1

07-1

08-1

Via Portal Photos

Foto do beijo é estragada por convidado em casamento

Foto do beijo é estragada por convidado em casamento

Neste dia 17 de setembro, o fotógrafo Joel H. Garcia – residente nas Filipinas – postou uma imagem que reacendeu toda a discussão sobre o uso de câmeras e celulares por parte dos convidados em eventos como casamentos e aniversários.

Na foto, podemos ver aquilo que Henri Cartier-Bresson chama de “momento decisivo”: o beijo dos noivos, o contato das mãos no rosto, a composição impecável criando uma simetria entre os dois lados do enquadramento. Mas contra todo o talento do fotógrafo, eis que surge a mão de um dos convidados para capturar a mesma cena com o seu celular (certamente a partir de um ângulo um pouco pior).

Em sua postagem, Garcia escreveu:

“Alguns momentos são muito breves e quando um convidado entra no caminho, eu fico muito triste, pois as pessoas não percebem o que estão fazendo. Eu quero postar este tipo de imagem porque tenho a esperança de ensinar algumas pessoas, que entenderão isto como um lembrete positivo e pensarão no fotógrafo ou cinegrafista que estão trabalhando antes de pular bem na frente de um momento crucial.”

iphoto-foto-de-beijo-estragada-por-convidado-casamentoFoto: Joel H. Garcia

Esta é a realidade com a qual muitos fotógrafos de casamento e eventos precisam lidar frequentemente. Além de todo o profissionalismo, conhecimento, habilidade e talentos envolvidos na difícil tarefa de registrar momentos tão ímpares e fugazes, ainda cabe ao fotógrafo lidar com a invasão de câmeras compactas, celulares e até mesmo DSLRs super bem equipadas. Pode parecer um preciosismo e para quem não trabalha na área fica difícil entender como a simples presença de um celular ou câmera compacta pode atrapalhar tanto o trabalho de um fotógrafo. A foto de Joel H. Garcia demonstra um dos problemas mais clássicos, quando o melhor enquadramento para uma determinada imagem está exatamente atrás da câmera de um convidado.

Outro problema bastante comum acontece quando o fotógrafo monta um grupo para um retrato – os noivos com os pais, ou os padrinhos – e neste momento um convidado surge com sua câmera para aproveitar a reunião e fazer uma foto para si. Com a melhor das intenções, o convidado fica alguns passos atrás do fotógrafo, na tentativa de não atrapalhar. Como resultado, os membros do grupo a ser retratado têm um momento de confusão e o fotógrafo acaba registrando uma cacofonia de olhares, com cada pessoa olhando para uma direção diferente – muitas vezes sutis demais para ser percebida ali, no momento da captura.

Diferente do convidado, o fotógrafo será cobrado por aquela imagem. Ele tem a responsabilidade profissional de entregar o melhor trabalho possível e não caberá quaisquer desculpas se determinados momentos cruciais do evento não estiverem presentes no álbum de retrato. O convidado, nesta situação – mesmo que com a melhor das intenções – terá prejudicado não apenas o trabalho do profissional, mas também o resultado esperado pelos protagonistas do evento – possivelmente maculando os registros que deveriam ser eternizados.

Pense nisto quando sair de casa para o próximo evento, aniversário ou casamento para o qual você tenha sido convidado. Se o evento tiver um fotógrafo contratado, considere deixar sua câmera em casa e seu smartphone no bolso. Curta a festa e dedique toda a atenção dos seus olhos, mente e coração ao importante evento que se desenrola diante de você. Existe um profissional, cujo conhecimento, talento e habilidade estão todos alinhados pelo melhor registro fotográfico da ocasião. Esta pessoa ou equipe estão lá para que você não precise se preocupar e possa se dedicar ao que qualquer convidado deve fazer em um evento: se divertir.

Fonte: IPhoto (https://goo.gl/icn4YD)

Via IPhoto

Fotógrafo usa técnica de 100 anos para criar belos retratos coloridos

Fotógrafo usa técnica de 100 anos para criar belos retratos coloridos

O fotógrafo francês Mathieu Stern é conhecido por ser um entusiasta da fotografia analógica, sempre experimentando técnicas e equipamentos antigos. Recentemente ele criou uma série de retratos usando o processo tricromático, uma técnica de 100 anos utilizada na fotografia para obter imagens coloridas, antes mesmo da criação do primeiro filme colorido.

“Eu queria fazer um experimento e ver que tipo de resultado uma velha técnica como essa iria dar com tecnologias modernas; não fiquei desapontado”

4

 

O processo consiste em fotografar a mesma cena três vezes em preto e branco, usando diferentes filtros coloridos nas cores matriciais – vermelho, verde e azul (red, green, blue, o famoso RGB). Posteriormente, as imagens são mixadas usando novamente os filtros. A mesma técnica foi aplicada na criação da câmera Miethe’s Dreifarben, fabricada em 1903, na Alemanha. Veja abaixo algumas das fotos de Mathieu:

 

2

3

1

5

6

7

8

9

10

11

12

13

Fotos: Mathieu Stern